Acreditação Nível 2 Sanitas

Hipertensão ou “Pressão Alta”

Elevação dos níveis pressóricos no sangue arterial.

Atinge mais de 30% da população.

Atinge vários órgãos de forma silenciosa, como coração, rins, cérebro e olhos.

Temos um elevado numero de pacientes assintomáticos, sendo necessário a prevenção em todos.

Essa doença reduz a expectativa de vida dos individuos, pois sobrecarrega o coração e altera as estruturas dos vasos, que podem levar a formação de aneurismas, que se romper, causa o derrame cerebral. Essas alterações vasculares podem comprometer também o funcionamento dos rins e retina, levando a insuficiência renal e perda da visão.

Facilita também a formação de placas de gordura e cálcio nas artérias do coração, predispondo o paciente ao infarto agudo do miocárdio.

PREVENÇÃO: Levar uma vida saudável, manter o peso adequado, evitar fumo e bebidas alcoólicas, praticar uma dieta livre de gorduras e com pouco sal.

Realizar medicação mensal da pressão arterial, principalmente após os 40 anos de idade, principalmente em indivíduos onde há pessoas na família com essa doença.

DIAGNÓSTICO: A visita ao médico e a medida da pressão é a etapa fundamental para o diagnóstico correto. Em casos duvidosos, pode haver necessidade de exames especializados, como o teste de esforço físico (Teste Ergométrico) ou a monitorização da pressão por um período de 24 horas (MAPA). Em alguns poucos casos, pode ser necessário o aprofundamento diagnostico, para a descoberta das causas da doença.

SINTOMAS: A Maioria das pessoas não apresentam sintomas, daí a importância da prevenção. Em indivíduos sintomáticos, os mais comuns, são a cefaleia (dor de cabeça), dor na nuca, tontura e eventualmente até sangramento nasal.

CAUSAS: Em 90% à 95% não se encontra um fator conhecido, o que e denominado hipertensão essencial. O fator hereditário sempre deve ser levado em conta. Os outros 5% dos pacientes devem sofrer avaliação pertinente, como mencionado acima.

TRATAMENTO: Temos as medidas genéricas que compreendem as mudanças de hábitos, como dietas com pouco sal e gordura, perda de peso corpóreo, evitar tabagismo, ingestão de bebidas alcoólatras e praticar exercícios físicos. A utilização de medicações, quando necessário, devem ser individualizadas para cada paciente.

VALORES NORMAIS: Acima de 18 anos – niveis ótimos : 120mmHg x 80mmHg, podendo chegar no máximo a 130 mmHg x 85 mmHg.

Referências Bibiograficas

  1. Sociedade Brasileira de Hipertensão

  2. Diretrizes de Hipertenção Arterial - 2010

Voltar para o topo