Acreditação Nível 2 Sanitas

Câncer de Mama

É a primeira causa de morte por câncer em mulheres, e essas estatísticas vem aumentando mundialmente.

Suas causas ainda não estão completamente esclarecidas pela ciência, porém já temos fatores de risco bem conhecidos e fatores genéticos e cromossômicos envolvidos.

A maior maneira de combatê-lo é o diagnóstico precoce, pois aumenta eleva muito as chances de cura.

O que deve ser feito então?

Autoexame: É fundamental que todas as mulheres realizem o autoexame mamário mensalmente, preferencialmente após o período menstrual, buscando alguma alteração visível ou palpável, e quando notadas devem ser avaliadas por um médico.

Prevenção: Deve ser iniciada após os 40 anos, com a visita ao profissional médico e a realização de mamografia, técnica mais eficiente para o diagnóstico precoce. Em alguns casos pode haver necessidade de ultrassonografia complementar, principalmente em mamas densas.

O que mamografia mostrada ao médico? – A eventual presença de nódulos, microcalcificações e outras lesões suspeitas de malignidade.

Biopsias e Punções: São necessárias quando são encontradas alterações suspeitas na mamografia ou na ultrassonografia, pois em muitos casos, podem definir se a lesão é benigna ou maligna. Geralmente são realizados com anestesia local e com pouco incômodo à paciente. Em caso de necessidade, pode ser necessária a realização de uma biopsia cirúrgica.

Implantes Mamários: Não impedem a realização da mamografia, porém em alguns casos, poderá haver a necessidade da realização de ressonância magnética complementar em pacientes com implantes mamários.

Fatores de Risco: Histórico de câncer de mama ou ovário na família ( principalmente em mãe ou irmã), exposição prolongada ao estrógeno ( inicio precoce da menstruação ou menopausa tardia (após os 52 anos), e o fato da mulher nunca ter engravidado.

Voltar para o topo